Ameaças do microplástico na vida humana

micro

micro

O que são microplásticos?

Microplásticos são minúsculos detritos plásticos oriundos da fragmentação de plásticos maiores. São encontrados, principalmente, em forma de partículas de tamanho inferior a 5 mm.

A primeira vez que os microplásticos foram detectados no meio ambiente foi em 1970 e logo passaram a ser um fator de preocupação por poluírem cada vez mais os ambientes aquáticos.

Impacto dos microplásticos na vida selvagem

O impacto ambiental mais comum está relacionado com a ingestão do microplástico por animais aquáticos, o que pode levá-los à asfixia. Quando não causa asfixia, a ingestão desses plásticos leva a lesões em órgãos internos e ao bloqueio do trato gastrointestinal.

Também estamos ingerindo microplásticos?

O sal que você usa para temperar a comida está contaminado com microplásticos, o mesmo tipo de produto que o mundo tenta combater banindo os canudinhos.

É o que aponta um estudo do Greenpeace realizado com 39 marcas de sal de 21 países, entre eles o Brasil. Apenas amostras colhidas na China, na França e em Taiwan não apresentaram partículas de microplásticos.

Da mesma forma, um estudo-piloto encontrou microplásticos em fezes humanas pela primeira vez, com resultados positivos nos testes de todos os oito participantes, que vieram de várias partes do mundo. Outro estudo publicado no começo de 2018 também descobriu microplásticos em 90% da água vendida engarrafada.

De onde vem o microplástico?

Os microplásticos são divididos em duas categorias:

  • Microplásticos primários:
    São libertados diretamente para o ambiente como pequenas partículas através de lavagem de roupas sintéticas, desgaste dos pneus durante a condução e microplásticos adicionados intencionalmente em produtos de cuidados pessoais (por exemplo, microesferas em esfoliantes faciais).
  • Microplásticos secundários:
    Provêm da degradação de objetos de plástico maiores, como sacos de plásticos, garrafas ou redes de pesca. Contabilizam-se entre 69% a 81% dos microplásticos encontrados nos oceanos.

Como minimizar as ameaças do plástico na vida humana e selvagem

A poluição do oceano por plástico é o resultado de um sistema profundamente mal estruturado, em que a fabricação de um produto não biodegradável pode continuar sendo feita sem controle. Ainda que seja possível reciclar, não há segurança de que os resíduos serão reciclados (não se pode contar com a reciclagem neste caso, uma vez que apenas 9% de todo o plástico produzido desde a década de 1950 foi reciclado).

Encontrar uma solução exige chegar à raiz do problema. É necessário que os governos levem isso em conta. As empresas precisam ser responsáveis pelo ciclo de vida completo de seus produtos, incluindo a coleta e a reutilização.

São necessárias campanhas contínuas sobre consumo que estimulem as pessoas a respeito do impacto do plástico descartável.

É preciso evitar produtos com embalagens desnecessárias, cobrar para que empresas mudem suas posturas e implantem embalagens biodegradáveis e recicláveis.

É necessário colocar essas ideias em prática para que o nosso planeta não seja engolido pelo lixo plástico.

Leia mais conteúdo como este